16/03/2017

O BAIRRO DA ENCARNAÇÃO, É O QUE É, E NÃO O QUE PODERIA TER SIDO!



PRAIA DO BAIRRO DA ENCARNAÇÃO......O Bairro poderia ser assim





Mas não é.!!!        É assim   !
Resultado de imagem para bairro da encarnação








Homens, interessados por "coisas" da natureza, e sobretudo estudiosos, como o nosso Amigo Leopoldo, acostumaram-se a fazer perguntas e tentam encontrar respostas que sejam lógicas. Assim tendo em conta os limites da ciência e realidade, bem como a inesgotável imaginação do ser humano, vamos "empacotar" tudo isto, com base numa observação local, efetuada pelo Leopoldo. Vejamos o que ele nos oferece:




"GEOMONUMENTO DA RUA DOS EUCALIPTOS
<<<. No MIOCÉNICO MÉDIO A SUPERIOR, No BAIRRO DA ENCARNAÇÃO (Rua dos Eucaliptos) havia aqui uma praia, de águas quentes, propícias à proliferação de organismos produtores de conchas de natureza calcária, com destaque para ostras e equinodermes que ficaram incluídos em calcários. A erosão das rochas carbonatadas, originaram-se grande parte dos litoclastos (detritos) que compõem estas areias. ….Repetindo: Este local era, há 12 milhões de anos, uma Praia.>>>>> Localização ….Rua dos Eucaliptos.. Lisboa .. Freguesia: Olivais… coordenadas:
38° 46' 30.89'' N……………. 9° 7' 21.09'' W

Na escala de tempo geológico, o Holoceno ou Holocénico é a época do período Quaternário da era Cenozoica do éon Fanerozoico que se iniciou há cerca de 11,5 mil anos e se estende até ao presente. 14/3/17 "






Ou seja....:
Naquela coisa que ele chama o "miocénico", poderíamos ter um Bairro assim, e tu trajarias deste modo:










Logo, na época de verão, nós andaríamos vestidos assim, e a paisagem seria esta !





Afinal o que seria melhor........Os gases da SACOR, ou o cheiro a maresia  ????


Por tudo isto, achou por bem o Leopoldo homenagear a praia que afinal nunca tivemos, e que deveríamos ter tido, com este excelente poema........










 "A PRAIA MIOCÉNICA DO BAIRRO DA ENCARNAÇÃO.
Novamente a PRAIA viu o SOL.
Que há Milhões de Anos já não via .(12 Milhões de A. MIOCENO).
Pois um GRUPO HUMANO a destapou……. (CML)
Anteriormente dura, agora mole....

Pois há muito tempo ela dormia.
Respirar um ventinho, ela adorou!

As Almas das Conchinhas Acordaram.
E suspiraram com muita alegria.
Ao ver a Luz que elas reflectiam.
As Carapaças das Ostras mui cantaram.
Dente de tubarão também sorria.
Pequenos Litoclastos se moviam.

O Belo MIOCENO acordou.
Com o seu Geológico poder.
A Terra e o Céu ele mediu.
De Cima para Baixo ele olhou.
E agora estava a perceber.
Que muita “COISA NOVA” ele viu.

Tendo pena dele o HOLOCENO…de 11,5 mil anos até ao presente.
Por telepatia lhe explicou.
Que ele estava a ver EVOLUÇÃO.
De Milhões de Anos no Terreno.
E que por cima da” Praia “se formou”.
O BELO BAIRRO DA ENCARNAÇÃO ………….(Rua dos Eucaliptos)
14/3/17"



Aceitam-se inscrições para musicar
 
















8 comentários:

  1. É tudo uma maravilha, o NOSSO BELO BAIRRO.....Este ano há almoço?
    Abraços.
    Camané

    ResponderEliminar
  2. Que maravilha!
    Obrigados ao Leopoldo e ao Vasco!

    Não sabia que, afinal, o esgoto onde andei tinha sido um rio!!!
    Em tempos (anos 50) eu e muitos outros miúdos entravamos por um tubo (entre os Bombeiros e o Aeroporto) e, caminhando pela conduta (evitando as «bostas», é claro!...), dava para ir até Moscavide.
    Nesse tempo nem nos passava pela cabeça que, se caísse uma carga d'água, íamos «desaguar» ao Tejo, talvez um tudo-nada afogaditos...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. era como se fosse um tubo de um parque aquático dos tempos modernos, mas em vez de ser inclinado, era na horizontal........enfim era para nos irmos habituando às modernisses

      Eliminar
    2. Só nasci em 53 e morei praticamente de 57 a 79 em Moscavide. Gostava de ter apreciado esse viagem tubular ! :)))

      Eliminar
  3. E, como as palavras são com as cerejas, acabo de me lembrar de outra também muito castiça (Hoje a «malta» diria "bué da fixe"):

    Naqueles tempos (anos 50), o Aeroporto era assim a modos de «lá vem um» em termos de tráfego de aviões. Por outro lado, não havia preocupação nenhuma com seguranças, nem aéreas nem alimentares. Alergias? Olha olha, só se fosse aos polícias que não nos deixavam jogar à bola na rua!!! Adiante...

    Pois voltando ao Aeroporto, podíamos dar-nos ao «luxo» de atravessar a pista para ir dar um brutos mergulhos numas lagoas que havia ali para os lados da Musgueira - resultado de pedreiras antigas e abandonadas - onde agora fica o terminal de carga dos CTT.

    Bem, os mergulhos acabavam invariavelmente em grandes batalhas de pedras e insultos, porque o pessoal da Musgueira achava que aquele era o «seu território» e nós uns atrevidos invasores... Coisas dos miúdos de então!

    Bem, como eles eram sempre mais que nós, tínhamos de bater em retirada e o «chato» era se a fuga coincidia com o movimento de algum avião... Aí era a vez de entrar em cena o pessoal da pista. Vinha de lá da gare um Jeep Willis a toda a pressa para evitar que nos fizéssemos à pista. Ou seja, o pessoal estava sempre de olho na malta! Mas julgam que nos ralhavam ou chateavam? Nada disso! Eram outros tempos bem mais saudáveis que os de hoje.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Lembro-me muito bem dessas piscinas, mas o cloro era um pouco acastanhado

      Eliminar
    2. Carambas!
      Será que andámos por lá ao mesmo tempo?

      Já agora, corrijo o nome do Jeep WILLYS, não vá sermos todos «excomungados pelo novo patrão dos States»... É que agora não se pode brincar com eles, pois ainda expulsam os nossos compatriotas que lá «vergam a mola»... Ai ai...

      Eliminar
  4. Gostei de saber. Realmente o nosso Bairro, é uma caixinha de surpresas. Obrigada Leopoldo e Vasco.

    ResponderEliminar