Sinopse – P3

O telheiro do Bairro da Encarnação
Hoje em dia apenas resta uma estátua: a estátua do governador Ferreira do Amaral que substitui aquele que foi o ponto de encontro dos moradores e visitantes do Bairro da Encarnação.
Em muitas das nossas visitas de estudo sobre o bairro, fomos apercebendo-nos do desgosto que algumas pessoas sentem pela ausência do telheiro. Era ali que esperavam pelo autocarro, que marcavam encontros, que tinham dois dedos de conversa sem fim nem propósito…
Foi um lugar que deixou muitas recordações à população.
Para o P3, de imediato soubemos que queríamos pegar no conceito que o telheiro representava: o convívio; o ponto de encontro da comunidade.
Depois da borboleta utilizada no livro do bairro, decidimos manter-nos com o origami e desestruturar um pouco a sua forma final. O objectivo é criar uma espécie de tenda/toldo que representasse o bairro Borboleta e que, ainda assim, fosse local de reunião/convívio, sem perder totalmente a sua forma.
Para a instalação, escolhemos um ponto da Alameda – um relvado central com 123,7 m de perímetro – onde iremos montar a nossa tenda/toldo. Esta será afixada com o intuito de ser o novo local de reunião/convívio da comunidade.
Para a marcação do caminho a seguir até este ponto de encontro, serão afixadas várias borboletas em origami, junto a paragens de autocarro e/ou outros pontos chave, como forma de levar a população a segui-las.